slider img
slider img
slider img

Olá pessoal! Hoje vou falar de uma animação muito gracinha e que fez bastante sucesso com os telespectadores, O Touro Ferdinando! A h...

O Touro Ferdinando - Flores ou touradas?

Olá pessoal! Hoje vou falar de uma animação muito gracinha e que fez bastante sucesso com os telespectadores, O Touro Ferdinando!

A história começa com os tourinhos crianças esperando seus pais para verem qual touro adulto vai para arena enfrentar um corajoso toureiro.
Dentre os adultos estão o pai de Ferdinando e o pai de Valente (um outro tourinho que sonha em ir para uma tourada e que vive zombando de Ferdinando).
Os tourinhos são: Ferdinando (que é o diferente, não sonha em ir para uma tourada e tem uma paixão indescritível por flores); Valente (o touro mais corajoso do lugar, sonha em ir para uma tourada e se mostrar o melhor touro de todos e é o "líder" dos quais zombam de Ferdinando); Magrela (que não é um dos touros mais bonitos que tem e é meio desajeitado) entre outros touros.
No dia da escolha do melhor touro, o pai de Ferdinando acaba sendo o escolhido e ele se vê sozinho no meio de touros diferentes deles, que são brigões, um tanto violentos e só pensam nas touradas.
Após algum tempo, o carro que levou o pai de Ferdinando embora, volta e isso dá esperança ao tourinho, mas quando abrem a caçamba, não tem nada lá. Ferdinando se vê sem rumo e acaba fugindo de seu "lar". No meio do caminho ele cai num barranco e de longe vê dois vultos, até que perde a consciência.
Quando acorda, ele se vê num lugar completamente diferente, cheio de flores, paz e uma nova amiga. Nesse lugar tudo é perfeito, ele vive sem se preocupar com as touradas, está com sua nova dona (que o ama muito), vive rodeado de flores e todos os anos vai em um festival em homenagem as mesmas, e nisso claro, os anos se passam e Ferdinando torna-se um touro grande, forte e até um pouco assustador.
No dia do festival de flores daquele ano, os donos de Ferdinando falam para ele não ir por causa do tamanho, mas o touro desobedece e acaba indo ao festival.
Quando ele chega lá, vê sua dona e decide ir em direção a ela, mas ele acaba se metendo em umas confusões no meio do caminho e isso acaba causando pânico nas pessoas presentes no festival. No meio dessas pessoas, estão dois funcionários de um homem que cuida de touros e os treinam para as futuras touradas que podem enfrentar, e ao verem Ferdinando, eles decidem levá-lo até seu patrão. Ferdinando tenta impedi-los mas não consegue e quando vê, está novamente "Na casa del touro", o lugar de onde havia fugido tinha tempos.
Lá novamente, ele reencontra os antigos "amigos", já crescidos e fortes como ele. Ele também conhece uma grande amiga, a Cabra, que o ajuda nas decisões que deve tomar, ou que ela acha que ele deve tomar.
No dia da chegada de Ferdinando em seu antigo lar, o melhor toureiro de Madrid chega no mesmo a procura do melhor touro para o seu último duelo.
Durante os poucos dias após a chegada e instalação do toureiro nessa fazenda (digamos assim), o toureiro fica a observar os touros para escolher o melhor e no último dia, por acidente, Ferdinando acaba sendo o escolhido.
Nessa mesma noite, Ferdinando pede ajuda par sua amiga Cabra e outros animais da fazenda para fugir dali, pois ele não deseja ir para a arena, mas o único caminho para ele ir embora sem ser visto é por dentro da casa do dono do lugar e mesmo assim, ele decide enfrentar isso.
Enquanto está andando pela casa, Ferdinando passa por um corredor e vê algo que nunca imaginou (sim, vou deixar vocês curiosos) e decide que irá levar todos os touros da fazenda consigo.
Depois que todos os touros são reunidos, eles entram na van do lugar e fogem, mas infelizmente os humanos de lá acabam vendo e vão atrás deles,  e isso gera uma perseguição hilária e emocionante.

Curiosidades: - a história do Touro Ferdinando não é de hoje. Esse filme é uma adaptação de um livro escrito em 1936, de Munro Leaf e ilustrações de Robert Lawson. Além disso, tem alguns curtas dessa versão antiga de "O Touro Ferdinando" no YouTube.
- Outra curiosidade, o diretor dessa animação maravilhosa é brasileiro! Que orgulho! O diretor é Carlos Saldanha, que além de diretor, é produtor, animador e dublador. Ele foi co-diretor de "A Era do Gelo" (2002) e "Robôs" (2005) e diretor de "A Era do Gelo 2 e 3" (2006 e 2009), "Rio e Rio 2".
-E a última curiosidade do post: Essa animação concorreu ao Oscar 2018 como melhor animação contra "Viva: a vida é uma festa " da Disney Pixar. Infelizmente, nossos tourinhos perderam para a animação concorrente . Mas não tem problema, porque esta ganhou no coração dos telespectadores!

Bem, se vocês querem saber o resultado da fuga de Ferdinando e seus amigos, assistam ao filme!
É isso, espero que tenham gostado e até a próxima!



Demoraram 10 anos. Foram 10 anos desde a criação do extenso Marvel Cinematic Universe (MCU para os íntimos), e, desde 2011, com o primeiro V...

Vingadores: Guerra Infinita - Opinião sincera

Demoraram 10 anos. Foram 10 anos desde a criação do extenso Marvel Cinematic Universe (MCU para os íntimos), e, desde 2011, com o primeiro Vingadores, temos leves citações aqui e ali do grande Thanos, o Titã Louco. Após todos esses anos de espera, valeu a pena? A resposta, ao menos de minha parte é: sim, valeu a pena. Hoje comentarei com muita satisfação sobre esse filme, não como alguém completamente empolgado - e explicarei isso no final do post, onde colocarei uma sessão de spoilers, porque existe muito a ser comentado, ok? Leia a secção quem quiser e puder. Vamos para o post!

Resultado de imagem para avengers infinity war

Vingadores: Guerra Infinita - sem spoilers

É um bom filme sim! Nessa parte parte do post eu farei um esforço de, sem spoilers, contar minha experiência com o filme, seus pontos altos e baixos.

O filme, personagens e coesão

O filme é, definitivamente, uma porradaria sem igual; durante duas horas e meia somos expostos a diversas cenas de ação, o filme não enrola nesse ponto, tanto é que antes de aparecer o logo do filme você já vê o Thanos em ação, e naquele momento soltamos um "eita" bem grande, os momentos de desenvolvimento da trama são aqueles que se referem ao Thanos.

Como todos os demais personagens foram desenvolvidos nesses anos, ora em filmes próprios, ora em aparições pontuais - como o Clint Barton (Gavião Arqueiro) em Thor: Deus do Trovão - o filme foca toda sua atenção para um ponto: o vilão; é nesse momento que vemos um vilão digno de causar terror nos Vingadores; Loki, Ultron, Hydra, Mandarim, Hela.. Nada é igual ao Thanos. Essa sacada de focar no vilão foi brilhante, pois assim o público se identifica com ele, compreende seus ideais e podemos, em certos momentos, torcer pelo vilão, o que demonstra o excelente trabalho do ator Josh Brolin que, mesmo sob toneladas de computação gráfica, ainda passa muito bem a expressão do vilão, o que ele sente, daí uma captura de movimentos admirável. 

Fora dessa contextualização, apresentação e identificação do Thanos, existem as cenas de luta. A coreografia do filme está ótima, vemos a identidade de cada personagem, de cada grupo, em suas falas e suas ações; quando vemos o Drax agir, sentimos um Drax que nos foi mostrado lá em Guardiões da Galaxia, não alguém que foi lançado no novo filme, existe uma coesão grande em todo o MCU, ou seja, outro ponto forte. Toda a forma como os núcleos narrativos se conectam é extremamente orgânica, desde a queda do Hulk no Sanctorum do Dr. Estranho até o Thor encontrando com os Guardiões (isso já estava nos trailers, sem reclamações!).

O ponto mais fraco talvez seja o tempo de tela de alguns personagens e o mau-uso de alguns. Compreensivo, afinal trata-se de mais de 20 personagens, ainda que tenham muitos secundários, é muita gente para administrar e estar muito presente ao longo do filme. Portanto, o menor dos defeitos. Outro ponto que alguém pode reclamar é do típico "humor Marvel", nesse quesito eu achei o humor na medida certa; Peter Parker, Starlord, Drax fazem o humor florescer em momentos-chave que, ao menos para mim, não atrapalham e não nos "distancia" do filme. Aliás, essas piadas e interações entre personagens são incríveis! Ver um adolescente nerd do Queens (ele mesmo, Spiderman) conversando com um adolescente num corpo de adulto que viveu nos anos 70/80 na Terra (a saber, Starlord) gera momentos incríveis de comédia, um choque de gerações literal.

Veredicto e mais alguns detalhes:

Resultado de imagem para avengers infinity war

Um ponto a ser reparado, e isso só fui perceber de fato ao ver comentários de youtubers, é o figurino dos personagens. A Marvel parece que usou esses 10 anos de cinema como um aulão incrível de caracterização e de efeitos especiais, que estão sem iguais! Num filme desses, com uma penca de ator, muitas explosões e afins, uma produção dessas é exemplar. Vale notar também os sons e músicas tema de cada grupo, novamente caindo na questão da identidade, por exemplo quando ouvimos músicas dos anos 80 já sabemos que os Guardiões vão aparecer. 
Levando tudo isso em conta é óbvio que o filme vale a pena. Procure assistir legendado, existem piadas ótimas que, penso, só entenderemos em inglês; se possível, um 3D deve deixar tudo melhor - lembrando que o filme foi rodado em IMAX, quem tiver a sorte de assistir com esse recurso, diga como foi a experiência, eu só vi legendado mesmo [risos]. Leve as amizades e amores, sente na poltrona e se divirta, o filme é extenso então procure assistir descansado! Uma ótima sessão!

Agora...

...SPOILERS!

Resultado de imagem para avengers infinity war


Daqui em diante usaremos spoilers para comentar sobre alguns pontos do filme, afinal quem já viu sabe que é possível ficar horas comentando sobre o assunto. Vocês foram avisados!

Ok, existem cenas de nos tirar o folego, certo? Certo. Mas para não fazer do post uma bíblia elogiando o filme, vamos direto aos pontos centrais do filme que podemos interagir nos comentários do blogger.

- Caveira Vermelha

Na hora que o personagem foi apresentado no filme eu tomei um susto e realmente fiquei confuso, minha memória não permitiu minha lembrança da cena dele sumindo em Capitão América: Primeiro Vingador, contudo existe a internet e logo que saí da sessão do cinema fui atrás de explicação. Opinião minha: a volta do personagem foi incrível! Ele não poderia aparecer em melhor hora e nem com melhor papel - o de guia para aqueles que desejam possuir a Joia da Alma. 

-Mortes de personagens

Morreu gente a rodo no filme! Embora saibamos que muitos retornarão, espero, de verdade, que mortes como as do Hemdall, Loki sejam definitivas. Os contratos da Marvel com os atores Chris Evans e Robert Downey Jr. só valem para mais um filme, então espero que em Vingadores 4, Homem de Ferro e Capitão América realmente morram - aliás, a cena que Stark beira a morte contra o Thanos era o momento ideal, que só não foi concretizado por causa do (supremo) mago Doutor Estranho.

-Futuro

Penso que esse filme vai redefinir as bases dos filmes de heróis no cinema ao longo dos próximos 5 anos (talvez mais!). É a primeira vez que saí de uma sessão, com filme da MARVEL, em choque, triste e até meio sem fala. Os heróis foram derrotados, Thanos ganhou, o que fazer? Teremos que esperar, mas gostaria que algumas mortes não fossem em vão, que a Marvel tenha mais culhões em deixar alguns personagens mortos mesmo. 

Sabemos que os filmes da Capitã Marvel se passarão nos anos 90, e, artes conceituais revelam que, os Skrulls estarão envolvidos, muito provavelmente contra os Kree, ou seja, Guerra Kree-Skrull, uma mega saga pra lá de importante dos quadrinhos, deve ser adaptada. Como será isso só o tempo dirá. E o mais importante: como Carol Danvers, a Capitã Marvel, vai ser convocada pelo Nick Fury (dados os pós-créditos de Avengers 3).

Existe muito assunto para se comentar, portanto me ajudem nessa, caros leitores! Digam o que acharam do filme, teorias, expectativas e tudo mais para trocarmos experiência! Até mais!

Já faz um tempo que vi o filme, acho até que seria um tanto injusto comentar sobre ele, contudo, apesar das falhas da memória eu optei por e...

Trama Fantasma (The Phantom Thread)

Já faz um tempo que vi o filme, acho até que seria um tanto injusto comentar sobre ele, contudo, apesar das falhas da memória eu optei por escrever esse texto. Existe, e é verdade, muita filosofia nas artes, e hoje trago um exemplo desses à vocês.

Phantom Thread é um filme e tanto! Foi indicado ao Oscar de 2018 merecidamente, ganhou na categoria de Melhor Figurino (não me surpreende dada a trama do filme que já falaremos sobre). Agora vou passar a ficha técnica para vocês.

Diretor e roteirista: Paul Thomas Anderson;
Elenco: Daniel Day-Lewis, Vicky Krieps, Lesley Manville

Phantom Thread (2017)

Trama:

A enredo do filme é sobre um estilista famoso, Reynalds Woodcock - interpretado brilhantemente pelo Daniel Day-Lewis! -, um dos maiores nomes no ramo de toda a Europa e talvez do mundo! Reynalds é um sujeito super dedicado ao trabalho, mora com sua irmã Cyrill (Lesley Manville), conta com uma vasta equipe de funcionárias que o ajudam na confecção dos vestidos, que, não raramente, são usados por famosas, rainhas e princesas. Porém o tão dedicado estilista sofre de um mal: não há uma mulher que aguente conviver com ele! Sua rotina de trabalho, seu jeito metódico e sua personalidade muda drasticamente quando está sob pressão, e isso não é incomum. Então, após um término de relacionamento, Reynalds parte para um restaurante e fica maravilhado com uma garçonete, seu nome é Alma; o estilista, já reconhecido pela jovem, leva-a para uma antiga casa, decide usá-la de molde para seus vestidos e todos ficam lindos nela. Reynalds encontrara a modelo ideal. A presença da jovem, por sua vez, traz uma série de confusões e sentimentos estranhos para o estilista. 

Essa é a trama. Simples e bem clara pelo título do filme, contudo ela consegue ser bem mais profunda, tanto é que estamos falando de um drama, não romance, nem suspense. Acho melhor evitar qualquer spoiler sobre o filme para não estragar a surpresa daqueles que assistirão. Falarei agora sobre minha experiência com o filme.

Diretor

Minha história parte do diretor: Paul Thomas Anderson. Nunca vi um filme dele sequer, e sei que ele é um diretor consagrado tanto pelo "Sangue Negro" quanto por "Magnólia". Decidi começar, mas não sabia por onde, afinal não tenho muito conhecimento sobre tecnologia para sair baixando filmes por aí (e digamos que meu computador não ajuda); golpe de sorte do destino foi ter me dado um filme fresquinho dele e de ótima qualidade. Em outras palavras, meu interesse no filme se deu pelo diretor - mas não pensem que isso mina o caráter crítico!

O filme:

O filme é muito bom, ele te prende, tem uma história envolvente, os atores estão excelentes, e existe um interesse real para entender a parte "fantasmagórica" do título do filme; o ponto fraco é a duração. Realmente, é necessário um tempo do filme dedicado ao desenvolvimento dos personagens em pequenos gestos - e isso ocorre bastante no filme, não sei se é um traço autoral do diretor, quem souber pode comentar nesse post -; mas existem momentos que eu realmente quase dormi, de cansar a vista mesmo, esse foi, provavelmente, o único defeito do filme para mim.

Trilha sonora, elenco, figurino... Porém existe um ponto que me impressionou: a fotografia. Não sei bem se é coisa da minha mente, se a câmera usada nas gravações é velha ou se é uma edição de vídeo, mas quando reparei na fotografia do filme eu me apaixonei. O filme se passa em algum momento da Guerra Fria (isso é revelado no 2º ou 3º ato, antecipo a informação por achar necessário), existe uma moda de uma época dos anos 50/60, é perceptível, inclusive pelos "valores" daquele tempo; o diretor consegue te colocar muito bem naquele espaço de tempo, realmente você entra no clima, no "espírito do tempo", o diferencial para mim está na câmera: ela parece sofrer um efeito de desfocada, um desfoque causado pelo tempo, pela velhice mesmo, uma máquina antiga, contudo, ao mesmo tempo, ela mostra com muitos detalhes as feições dos atores, algo que só uma câmera de boa qualidade e, penso eu, recente, poderia trazer. Isso me fascinou ao ver o filme.

Um ponto central também é o tal do clima "fantasmagórico", existe um "espectro" que ronda a história do filme; só entenderemos ele ao final da trama: já antecipo que é bastante reflexivo.

Daniel Day-Lewis and Vicky Krieps in Phantom Thread (2017)

Conclusão:

Vá assistir o filme. Vá assistir o filme com paciência. Se questione ao final do filme, você precisa fazer isso para entender a complexidade da trama. Admire o som, a imagem, os diálogos, os pequenos gestos. Tenha um ótimo filme.

Olá pessoal! Faz tempo que não escrevo, mas hoje tem post fresquinho para vocês sobre uma obra literária modernista (2ª fase) escrita por G...

Vidas secas - A realidade do Nordeste brasileiro

Olá pessoal! Faz tempo que não escrevo, mas hoje tem post fresquinho para vocês sobre uma obra literária modernista (2ª fase) escrita por Graciliano Ramos, Vidas secas.

A história fala sobre uma família de sertanejos que sai de casa por causa de uma rigorosa seca que atinge a região nordestina na qual a família morava. Eles (Fabiano, Sinhá Vitória, o menino mais velho e o menino mais novo e a cachorra Baleia) caminham por dias nas terras secas do sertão, sol a sol, até acharem uma fazenda abandonada. Como eles não estavam em condições de seguir viagem, a família decide se instalar na fazenda para sobreviver.
Pouco tempo depois de já estarem instalados na casa, a chuva surge no sertão e o então dono da fazenda reaparece e, para que Fabiano e a família não sejam expulsos do lugar, o vaqueiro se oferece para trabalhar nas terras onde havia se abrigado, assim, o dono da fazenda acaba por contratar Fabiano para ser seu funcionário.
Depois que a família tem um novo lar e Fabiano um emprego, acontecem muitos eventos (que são retratados nos diferentes capítulos). Os primeiros descrevem os membros da família individualmente e logo após, cada situação que esses sertanejos tiveram que passar, como o inverno, a festa de natal, o dia em que Fabiano fora preso, e assim vai.
Podemos perceber que a família passa por alegrias temporárias, pois mesmo com o novo lar e um pouco de dinheiro, as contas do patrão não estão batendo (provavelmente por causa dos juros), o sonho de Sinhá Vitória de dormir em uma cama de verdade (e não de varas), entre outros conflitos.
A obra além de mostrar a vida dessa família, mostra também o quão difícil é viver no sertão brasileiro (daquela época e no sertão atual também), além da seca, as injustiças que ocorriam no lugar, principalmente com as famílias humildes parecidas com a de Fabiano 

Contexto histórico: o livro é publicado em 1938. No Brasil havia a turbulência da ditadura Vargas, enquanto a Europa vivia tensões políticas, que no ano seguinte (1939) resultaram na Segunda Grande Guerra.

Narração:o narrador está em terceira pessoa; descreve detalhadamente as personagens, os pensamentos destas, as ações e o ambiente a ser retratado; tem um discurso indireto livre, no qual as falas das personagens misturam-se com a narração do livro. Esse modo de narração foi a solução para que a voz de muitos sertanejos fossem ouvidas; podemos descrever o narrador da obra como narrador onisciente.

Personagens:
Fabiano: homem teimoso, que fora transformado pelo meio em que sempre viveu. Um tanto rabugento, rude e ignorante, não foi à escola, é um homem simples que as vezes bebe além da conta e se mete em algumas confusões. As vezes se vê como um bicho, as vezes se vê como um homem.

Sinhá Vitória: esposa de Fabiano e mãe de dois meninos. É batalhadora e não se conforma na miséria em que ela e a família vivem. Tem cabeça boa (como diz Fabiano durante o livro), é esperta, sabe fazer contas e com isso ajuda o marido a se safar de algumas enrascadas.

Meninos: o mais novo idolatra a figura do pai, quer ser igual a ele, vaquejar, ser bravo e forte igual, está muito ligado a terra em que vive. Já o menino mais velho não tem esse interesse pela vida de vaqueiro e deseja um dia deixar o sertão e viver dignamente, sempre quer aprender coisas novas (principalmente as palavras) e sua mãe ajuda-o de vez em quando com essa tarefa. Além disso, o menino mais velho é muito próximo da cadela Baleia.

Baleia: cadelinha que é vista como um membro da família, está sempre a acompanhar seus donos e os ajuda em que precisar. Ela age, sonha e pensa como gente. No livro, tem um capítulo só para essa especial personagem de quatro patas.

Patrão de Fabiano: um homem trapaceiro que faz de tudo para arrancar o máximo de dinheiro possível de Fabiano (no qual ele explora).

Soldado Amarelo: funcionário do governo, militar, que em determinado capítulo convida Fabiano para jogar e acaba prendendo o vaqueiro. Mas que em outra parte do livro, acaba não sendo tão corajoso quanto aparenta ser.

Bem, se vocês meus caros leitores querem saber as "aventuras" no qual essa família passa e o destino de cada um deles, leiam ao livro! (Tenho certeza que irão gostar, além disso, a leitura é rápida e fácil).
É isso gente, espero que tenham gostado e até a próxima!


Olá Iniciantes, tudo bem? Já voltaram às aulas? Como passaram as férias? Nós do Iniciativa passamos esse tempo todo em Cancún, apreciando a...

Merlí (2ª e 3ª temporada): a saga dos peripatéticos

Olá Iniciantes, tudo bem? Já voltaram às aulas? Como passaram as férias? Nós do Iniciativa passamos esse tempo todo em Cancún, apreciando a vista... Ah, deixa, era apenas um sonho.. Enfim, vamos falar hoje da concluída série "Merlí". Já fizemos um post da primeira temporada e pensei que a série se encerraria por ali - não por desejo meu, mas por ser desconhecida; para minha felicidade estava errado, a série não só continuou como manteve a qualidade e foi concluída. Vamos comentar mais sobre essa série qua cativa os peripatéticos de plantão.

Para começar, queria deixar 2 links do jornal Folha recomendando a série em questão: 



A premissa aqui da série já foi bem explicada: Merlí, professor de Filosofia dos mais alternativos possíveis, leciona no Ensino Médio para um grupo de jovens catalães; suas aulas apresentam não só a filosofia e um pouco de sua história passando por grandes nomes do pensamento ocidental (e oriental também), mas como um "saber inútil" filosófico pode ser muito importante na vida prática - e esse certamente é o ponto alto da série. 

Se já sabemos a trama, conhecemos os personagens - quem viu a primeira resenha e assistiu um pouco da série - qual a necessidade de um post? Bem, há séries que nos decepcionam em suas temporadas seguintes, é o caso da 3ª temp. de Flash que foi bem sofrida de ver; pensei então em fazer esse post para comentar sobre as outras temporadas e outros pontos a mais. Já estava elaborando o post da 2ª temp. mas em questão de semanas a Netflix lançou a 3ª, ficaria no mínimo estúpido comentar sobre uma temporada que já passou, não? Então aqui estamos.

Resultado de imagem para merli série 

 O que podemos dizer? A série, graças a Deus, se manteve em qualidade, acrescentando mais personagens na 2ª temporada, enquanto os desenvolve na 3ª, é o caso da Oksana, jovem que chega de repente em terras "merlinianas" e apresenta um fato social comum em meninas adolescentes - não direi o que é por motivos de spoiler. Cada personagem se desenvolve com as diversas situações que ocorrem dentro do microcosmos de cada um, por assim dizer; Joan deve lidar com os pais e o relacionamento complexo, Marc com seu irmão e seu rendimento escolar, Bruno com seus amores etc. 

O outro ponto que adorei na série foi o fato de ela estar completamente inserida em seu tempo; as críticas aos políticos, incluindo o Donald Trump (realmente ele está em todas!), o movimento separatista da Catalunha, eleições, crítica ao ensino, apontando a instabilidade da profissão de professor e muito mais. Acredito que o fato da série estar inserida nesse momento é o que nos aproxima do universo dela - e pode ser muito interessante assisti-la algumas décadas depois, podendo pensar no contexto da Catalunha e suas propostas de independência, que podem ou não vir a se concretizar.

É isso pessoal, uma recomendação completinha agora para que possamos curtir a série sem medo de ser feliz! Um abraço da equipe e até mais!


Aos iniciantes apaixonados por musicais, uma boa trilha sonora, coreografias encantadoras e um enredo incrível, apresento-lhes: O Rei do Sh...

O Rei do Show

Aos iniciantes apaixonados por musicais, uma boa trilha sonora, coreografias encantadoras e um enredo incrível, apresento-lhes: O Rei do Show. Como muitos aqui gostam de uma história de superação, misturada com um romance e grandes conquistas, vou falar um pouco sobre o que me deixou fascinada, tanto do ponto de vista crítico, como do ponto de vista de uma pessoa apaixonada pela dança e pela música dentro desse filme.
Sinopse
A história de P.T. Barnum, interpretado por Hugh Jackman, que ao perder seu emprego, teve uma ideia maluca, ao ver das pessoas. Virou um showman empreendedor conhecido como "Príncipe das Falcatruas". Entre suas criações estão um museu de curiosidades e um circo próprio, em que eram apresentados animais, freaks e fraudes de todo tipo. Lá ele inventou o “O Maior Espetáculo da Terra”, em cartaz até hoje no Ringling Bros. and Barnum & Bailey Circus.

Informações

Elenco: Hugh Jackman, Rebecca Ferguson, Michelle Williams e Zac Efron
Diretor: Michael Gracey

Primeiramente, vou dar minha opinião como amante da música e da dança: a trilha sonora e as coreografias me surpreenderam do começo ao fim. Aos que não sabem, além do blog, dedico parte do meu tempo à dança, mas, não sou uma especialista no assunto. Todavia, eu queria dizer um pouco sobre o que senti vendo o conjunto completo. O mesmo sentimento transmitido pelos atores e pelas atrizes do filme, é o mesmo que os dançarinos desejam que seu público sinta, é uma sensação inexplicável, que quem faz algum tipo de arte, seja ela a música, o teatro ou a dança, sente ao se apresentar e acima de tudo deseja transmitir a quem assiste, portanto, acredito que os apaixonados pela arte, irão se encantar com o filme.

Agora, deixando meu lado “artístico” de lado, vou comentar um pouco sobre a minha opinião geral. Posso dizer que eu tinha uma alta expectativa sobre o filme, e estava certa. Os personagens eram brilhantes, a mensagem transmitida pelo filme era espetacular. E como sempre, eu adoro passar para vocês um pouco do que eu entendi do filme com uma mensagem do que eu entendi, colocando também alguns trechos das músicas.
Primeiro: Não deixe os outros te julgarem por fazer algo diferente. Se essa é a sua vontade, o seu sonho, corra atrás, pois se não realizá-lo, poderá se arrepender no futuro, e mais do que isso, não deixe que a fama, a ganância e o orgulho tomem conta da sua mente, pois isso irá afastar você de quem o ama.
"Τhey can say, they can say it all sοunds crazy Τhey can say, they can say Ι've lοst my mind Ι don't care, I don't care, sο call me crazy We can live in a wοrld that we design"
A million Dreams
Segundo: Se você ama uma pessoa, não deixe que o preconceito, as diferenças ou até mesmo o orgulho o atrapalhe de ir atrás desse amor. Pode não estar escrito nas estrelas que vocês são feitos para ficar juntos, mas, por que não reescrever a história passada pelas estrelas? insistam nesse amor, pois ele pode te fazer bem.
"What if we rewrite the stars? Say you were made to be mine Nothing could keep us apart You'd be the one I was meant to find It's up to you, and it's up to me No one can say what we get to be"
Rewrite the stars
Terceiro: Seja você mesmo! não se sinta inferior a outras pessoas! Você é único, especial e mais do que isso, tem sua própria essência. Não deixe que tirem isso de você!
"When the sharpest words wanna cut me down I'm gonna send a flood, gonna drown them out I am brave, I am proof I am who I'm meant to be, this is me"
This is me

Espero que tenham gostado!
Giih

E para os que querem ouvir as músicas citadas acima, vou deixar o link abaixo
Rewrite the stars
https://www.youtube.com/watch?v=5MrmIJ28hvk&list=PL_K6wOgC1a7YD02PoIkeCqpH23ljpHQmz&index=1

Olá pessoal! Hoje vou falar de um filme brasileiro que conquistou os corações de muitos de nós e que em 2016 estreou a segunda parte dessa ...

Minha mãe é uma peça 2 - Dona Hermínia está de volta!

Olá pessoal! Hoje vou falar de um filme brasileiro que conquistou os corações de muitos de nós e que em 2016 estreou a segunda parte dessa história, Minha mãe é uma peça 2! (Caso queiram saber como é o primeiro filme, é só clicar AQUI). Bem, vamos ao filme.
A história continua quando Hermínia já está com seu programa de sucesso ao ar, quando muda de condomínio e está mais elegante, mas o jeitinho de mãe continua o mesmo de sempre.
Seus filhos, Marcelina e Juliano, ainda moram com ela e claro, que as brigas são normais. Hermínia quer que Marcelina e Juliano comecem a trabalhar ai então que Marcelina fala que quer ser atriz e que só não está trabalhando pois está em fase de testes e o Juliano ainda está na busca do emprego. De quebra, seu netinho que veio de Brasília vai passar uns dias na casa da vovó e claro que isso só podia dar em confusão.
Enquanto Hermínia passeia com seu neto, eles entram numa loja de brinquedos e seu neto acaba vendo um quebra-cabeças que após ela perguntar o preço para o vendedor ela desiste do brinquedo na hora, mas aí seu neto resolve pegar um coelhinho, no qual este tem casa, piscina, família e o que mais você possa imaginar e como o vendedor deu as "gentis" sugestões do coelho e seu neto ia fazer birra, ela resolve levar tudo o que o vendedor falou, para casa. Na mesma noite, seu neto está desenhando e da um desenho para Hermínia e nesse momento seus filhos chegam, ela comenta sobre o desenho e Marcelina fala da obra de arte que o Pedrinho está fazendo na parede da casa.
Um pouco antes de Pedrinho voltar pra casa, Hermínia vai visitar tia Zélia, que não está muito bem de saúde e percebe que cada vez mais sua tia está se esquecendo das coisas.
Depois da volta de Pedrinho para Brasília, a irmã de Hermínia e Iesa (Lucia Helena) chega de Nova Iorque para ficar na casa de Iesa, mas como elas brigam, aonde Lucia Helena vai? Para a casa de Hermínia claro.
Após alguns dias da chegada da tia, Marcelina avisa que passou no teste de teatro e vai morar em São Paulo. No começo Hermínia não gosta, mas depois ela e Juliano vão visitar Marcelina em Sampa! Lógico que muitas confusões acontecem e estas rendem boas risadas.
Já de volta a Niterói, muitas outras coisas acontecem, como festa da emissora onde Hermínia tem seu programa, a saúde de tia Zélia, a ida de Juliano a São Paulo para ir morar coma irmã e assim vai.
Nesse filme temos um pouco de tudo e se eu for contar tudo, o filme irá perder a graça.
Bem, se querem saber o que vai acontecer nessa família maluca assistam ao filme!
É isso gente, espero que tenham gostado e até a próxima! 




Tecnologia do Blogger.