slider img
slider img
slider img

Olá pessoal! Faz tempo que não escrevo, mas hoje tem post fresquinho para vocês sobre uma obra literária modernista (2ª fase) escrita por G...

Vidas secas - A realidade do Nordeste brasileiro

Olá pessoal! Faz tempo que não escrevo, mas hoje tem post fresquinho para vocês sobre uma obra literária modernista (2ª fase) escrita por Graciliano Ramos, Vidas secas.

A história fala sobre uma família de sertanejos que sai de casa por causa de uma rigorosa seca que atinge a região nordestina na qual a família morava. Eles (Fabiano, Sinhá Vitória, o menino mais velho e o menino mais novo e a cachorra Baleia) caminham por dias nas terras secas do sertão, sol a sol, até acharem uma fazenda abandonada. Como eles não estavam em condições de seguir viagem, a família decide se instalar na fazenda para sobreviver.
Pouco tempo depois de já estarem instalados na casa, a chuva surge no sertão e o então dono da fazenda reaparece e, para que Fabiano e a família não sejam expulsos do lugar, o vaqueiro se oferece para trabalhar nas terras onde havia se abrigado, assim, o dono da fazenda acaba por contratar Fabiano para ser seu funcionário.
Depois que a família tem um novo lar e Fabiano um emprego, acontecem muitos eventos (que são retratados nos diferentes capítulos). Os primeiros descrevem os membros da família individualmente e logo após, cada situação que esses sertanejos tiveram que passar, como o inverno, a festa de natal, o dia em que Fabiano fora preso, e assim vai.
Podemos perceber que a família passa por alegrias temporárias, pois mesmo com o novo lar e um pouco de dinheiro, as contas do patrão não estão batendo (provavelmente por causa dos juros), o sonho de Sinhá Vitória de dormir em uma cama de verdade (e não de varas), entre outros conflitos.
A obra além de mostrar a vida dessa família, mostra também o quão difícil é viver no sertão brasileiro (daquela época e no sertão atual também), além da seca, as injustiças que ocorriam no lugar, principalmente com as famílias humildes parecidas com a de Fabiano 

Contexto histórico: o livro é publicado em 1938. No Brasil havia a turbulência da ditadura Vargas, enquanto a Europa vivia tensões políticas, que no ano seguinte (1939) resultaram na Segunda Grande Guerra.

Narração:o narrador está em terceira pessoa; descreve detalhadamente as personagens, os pensamentos destas, as ações e o ambiente a ser retratado; tem um discurso indireto livre, no qual as falas das personagens misturam-se com a narração do livro. Esse modo de narração foi a solução para que a voz de muitos sertanejos fossem ouvidas; podemos descrever o narrador da obra como narrador onisciente.

Personagens:
Fabiano: homem teimoso, que fora transformado pelo meio em que sempre viveu. Um tanto rabugento, rude e ignorante, não foi à escola, é um homem simples que as vezes bebe além da conta e se mete em algumas confusões. As vezes se vê como um bicho, as vezes se vê como um homem.

Sinhá Vitória: esposa de Fabiano e mãe de dois meninos. É batalhadora e não se conforma na miséria em que ela e a família vivem. Tem cabeça boa (como diz Fabiano durante o livro), é esperta, sabe fazer contas e com isso ajuda o marido a se safar de algumas enrascadas.

Meninos: o mais novo idolatra a figura do pai, quer ser igual a ele, vaquejar, ser bravo e forte igual, está muito ligado a terra em que vive. Já o menino mais velho não tem esse interesse pela vida de vaqueiro e deseja um dia deixar o sertão e viver dignamente, sempre quer aprender coisas novas (principalmente as palavras) e sua mãe ajuda-o de vez em quando com essa tarefa. Além disso, o menino mais velho é muito próximo da cadela Baleia.

Baleia: cadelinha que é vista como um membro da família, está sempre a acompanhar seus donos e os ajuda em que precisar. Ela age, sonha e pensa como gente. No livro, tem um capítulo só para essa especial personagem de quatro patas.

Patrão de Fabiano: um homem trapaceiro que faz de tudo para arrancar o máximo de dinheiro possível de Fabiano (no qual ele explora).

Soldado Amarelo: funcionário do governo, militar, que em determinado capítulo convida Fabiano para jogar e acaba prendendo o vaqueiro. Mas que em outra parte do livro, acaba não sendo tão corajoso quanto aparenta ser.

Bem, se vocês meus caros leitores querem saber as "aventuras" no qual essa família passa e o destino de cada um deles, leiam ao livro! (Tenho certeza que irão gostar, além disso, a leitura é rápida e fácil).
É isso gente, espero que tenham gostado e até a próxima!


Olá Iniciantes, tudo bem? Já voltaram às aulas? Como passaram as férias? Nós do Iniciativa passamos esse tempo todo em Cancún, apreciando a...

Merlí (2ª e 3ª temporada): a saga dos peripatéticos

Olá Iniciantes, tudo bem? Já voltaram às aulas? Como passaram as férias? Nós do Iniciativa passamos esse tempo todo em Cancún, apreciando a vista... Ah, deixa, era apenas um sonho.. Enfim, vamos falar hoje da concluída série "Merlí". Já fizemos um post da primeira temporada e pensei que a série se encerraria por ali - não por desejo meu, mas por ser desconhecida; para minha felicidade estava errado, a série não só continuou como manteve a qualidade e foi concluída. Vamos comentar mais sobre essa série qua cativa os peripatéticos de plantão.

Para começar, queria deixar 2 links do jornal Folha recomendando a série em questão: 



A premissa aqui da série já foi bem explicada: Merlí, professor de Filosofia dos mais alternativos possíveis, leciona no Ensino Médio para um grupo de jovens catalães; suas aulas apresentam não só a filosofia e um pouco de sua história passando por grandes nomes do pensamento ocidental (e oriental também), mas como um "saber inútil" filosófico pode ser muito importante na vida prática - e esse certamente é o ponto alto da série. 

Se já sabemos a trama, conhecemos os personagens - quem viu a primeira resenha e assistiu um pouco da série - qual a necessidade de um post? Bem, há séries que nos decepcionam em suas temporadas seguintes, é o caso da 3ª temp. de Flash que foi bem sofrida de ver; pensei então em fazer esse post para comentar sobre as outras temporadas e outros pontos a mais. Já estava elaborando o post da 2ª temp. mas em questão de semanas a Netflix lançou a 3ª, ficaria no mínimo estúpido comentar sobre uma temporada que já passou, não? Então aqui estamos.

Resultado de imagem para merli série 

 O que podemos dizer? A série, graças a Deus, se manteve em qualidade, acrescentando mais personagens na 2ª temporada, enquanto os desenvolve na 3ª, é o caso da Oksana, jovem que chega de repente em terras "merlinianas" e apresenta um fato social comum em meninas adolescentes - não direi o que é por motivos de spoiler. Cada personagem se desenvolve com as diversas situações que ocorrem dentro do microcosmos de cada um, por assim dizer; Joan deve lidar com os pais e o relacionamento complexo, Marc com seu irmão e seu rendimento escolar, Bruno com seus amores etc. 

O outro ponto que adorei na série foi o fato de ela estar completamente inserida em seu tempo; as críticas aos políticos, incluindo o Donald Trump (realmente ele está em todas!), o movimento separatista da Catalunha, eleições, crítica ao ensino, apontando a instabilidade da profissão de professor e muito mais. Acredito que o fato da série estar inserida nesse momento é o que nos aproxima do universo dela - e pode ser muito interessante assisti-la algumas décadas depois, podendo pensar no contexto da Catalunha e suas propostas de independência, que podem ou não vir a se concretizar.

É isso pessoal, uma recomendação completinha agora para que possamos curtir a série sem medo de ser feliz! Um abraço da equipe e até mais!


Aos iniciantes apaixonados por musicais, uma boa trilha sonora, coreografias encantadoras e um enredo incrível, apresento-lhes: O Rei do Sh...

O Rei do Show

Aos iniciantes apaixonados por musicais, uma boa trilha sonora, coreografias encantadoras e um enredo incrível, apresento-lhes: O Rei do Show. Como muitos aqui gostam de uma história de superação, misturada com um romance e grandes conquistas, vou falar um pouco sobre o que me deixou fascinada, tanto do ponto de vista crítico, como do ponto de vista de uma pessoa apaixonada pela dança e pela música dentro desse filme.
Sinopse
A história de P.T. Barnum, interpretado por Hugh Jackman, que ao perder seu emprego, teve uma ideia maluca, ao ver das pessoas. Virou um showman empreendedor conhecido como "Príncipe das Falcatruas". Entre suas criações estão um museu de curiosidades e um circo próprio, em que eram apresentados animais, freaks e fraudes de todo tipo. Lá ele inventou o “O Maior Espetáculo da Terra”, em cartaz até hoje no Ringling Bros. and Barnum & Bailey Circus.

Informações

Elenco: Hugh Jackman, Rebecca Ferguson, Michelle Williams e Zac Efron
Diretor: Michael Gracey

Primeiramente, vou dar minha opinião como amante da música e da dança: a trilha sonora e as coreografias me surpreenderam do começo ao fim. Aos que não sabem, além do blog, dedico parte do meu tempo à dança, mas, não sou uma especialista no assunto. Todavia, eu queria dizer um pouco sobre o que senti vendo o conjunto completo. O mesmo sentimento transmitido pelos atores e pelas atrizes do filme, é o mesmo que os dançarinos desejam que seu público sinta, é uma sensação inexplicável, que quem faz algum tipo de arte, seja ela a música, o teatro ou a dança, sente ao se apresentar e acima de tudo deseja transmitir a quem assiste, portanto, acredito que os apaixonados pela arte, irão se encantar com o filme.

Agora, deixando meu lado “artístico” de lado, vou comentar um pouco sobre a minha opinião geral. Posso dizer que eu tinha uma alta expectativa sobre o filme, e estava certa. Os personagens eram brilhantes, a mensagem transmitida pelo filme era espetacular. E como sempre, eu adoro passar para vocês um pouco do que eu entendi do filme com uma mensagem do que eu entendi, colocando também alguns trechos das músicas.
Primeiro: Não deixe os outros te julgarem por fazer algo diferente. Se essa é a sua vontade, o seu sonho, corra atrás, pois se não realizá-lo, poderá se arrepender no futuro, e mais do que isso, não deixe que a fama, a ganância e o orgulho tomem conta da sua mente, pois isso irá afastar você de quem o ama.
"Τhey can say, they can say it all sοunds crazy Τhey can say, they can say Ι've lοst my mind Ι don't care, I don't care, sο call me crazy We can live in a wοrld that we design"
A million Dreams
Segundo: Se você ama uma pessoa, não deixe que o preconceito, as diferenças ou até mesmo o orgulho o atrapalhe de ir atrás desse amor. Pode não estar escrito nas estrelas que vocês são feitos para ficar juntos, mas, por que não reescrever a história passada pelas estrelas? insistam nesse amor, pois ele pode te fazer bem.
"What if we rewrite the stars? Say you were made to be mine Nothing could keep us apart You'd be the one I was meant to find It's up to you, and it's up to me No one can say what we get to be"
Rewrite the stars
Terceiro: Seja você mesmo! não se sinta inferior a outras pessoas! Você é único, especial e mais do que isso, tem sua própria essência. Não deixe que tirem isso de você!
"When the sharpest words wanna cut me down I'm gonna send a flood, gonna drown them out I am brave, I am proof I am who I'm meant to be, this is me"
This is me

Espero que tenham gostado!
Giih

E para os que querem ouvir as músicas citadas acima, vou deixar o link abaixo
Rewrite the stars
https://www.youtube.com/watch?v=5MrmIJ28hvk&list=PL_K6wOgC1a7YD02PoIkeCqpH23ljpHQmz&index=1

Olá pessoal! Hoje vou falar de um filme brasileiro que conquistou os corações de muitos de nós e que em 2016 estreou a segunda parte dessa ...

Minha mãe é uma peça 2 - Dona Hermínia está de volta!

Olá pessoal! Hoje vou falar de um filme brasileiro que conquistou os corações de muitos de nós e que em 2016 estreou a segunda parte dessa história, Minha mãe é uma peça 2! (Caso queiram saber como é o primeiro filme, é só clicar AQUI). Bem, vamos ao filme.
A história continua quando Hermínia já está com seu programa de sucesso ao ar, quando muda de condomínio e está mais elegante, mas o jeitinho de mãe continua o mesmo de sempre.
Seus filhos, Marcelina e Juliano, ainda moram com ela e claro, que as brigas são normais. Hermínia quer que Marcelina e Juliano comecem a trabalhar ai então que Marcelina fala que quer ser atriz e que só não está trabalhando pois está em fase de testes e o Juliano ainda está na busca do emprego. De quebra, seu netinho que veio de Brasília vai passar uns dias na casa da vovó e claro que isso só podia dar em confusão.
Enquanto Hermínia passeia com seu neto, eles entram numa loja de brinquedos e seu neto acaba vendo um quebra-cabeças que após ela perguntar o preço para o vendedor ela desiste do brinquedo na hora, mas aí seu neto resolve pegar um coelhinho, no qual este tem casa, piscina, família e o que mais você possa imaginar e como o vendedor deu as "gentis" sugestões do coelho e seu neto ia fazer birra, ela resolve levar tudo o que o vendedor falou, para casa. Na mesma noite, seu neto está desenhando e da um desenho para Hermínia e nesse momento seus filhos chegam, ela comenta sobre o desenho e Marcelina fala da obra de arte que o Pedrinho está fazendo na parede da casa.
Um pouco antes de Pedrinho voltar pra casa, Hermínia vai visitar tia Zélia, que não está muito bem de saúde e percebe que cada vez mais sua tia está se esquecendo das coisas.
Depois da volta de Pedrinho para Brasília, a irmã de Hermínia e Iesa (Lucia Helena) chega de Nova Iorque para ficar na casa de Iesa, mas como elas brigam, aonde Lucia Helena vai? Para a casa de Hermínia claro.
Após alguns dias da chegada da tia, Marcelina avisa que passou no teste de teatro e vai morar em São Paulo. No começo Hermínia não gosta, mas depois ela e Juliano vão visitar Marcelina em Sampa! Lógico que muitas confusões acontecem e estas rendem boas risadas.
Já de volta a Niterói, muitas outras coisas acontecem, como festa da emissora onde Hermínia tem seu programa, a saúde de tia Zélia, a ida de Juliano a São Paulo para ir morar coma irmã e assim vai.
Nesse filme temos um pouco de tudo e se eu for contar tudo, o filme irá perder a graça.
Bem, se querem saber o que vai acontecer nessa família maluca assistam ao filme!
É isso gente, espero que tenham gostado e até a próxima! 




Olá inciantes! Primeiramente espero que tenham passado bem esse fim de ano e as férias. Este post é dedicado aos fãs de Gayle Forman, a aut...

Eu estive aqui

Olá inciantes! Primeiramente espero que tenham passado bem esse fim de ano e as férias. Este post é dedicado aos fãs de Gayle Forman, a autora de “Se eu Ficar” e “Para onde ela foi”, ou mais do que isso, aos que se interessam por histórias relacionadas à histórias reais transformadas em livros, nesse caso mais especificamente, a história de Suzy Gonzales que irei contar um pouco mais a frente.
Sinopse
Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo… Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?
A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria se esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem seus próprios segredos.

Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo… e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida.  
Comentário sobre o livro
Ao iniciar minha leitura me deparei com uma situação que eu percebi que está se tornando cada vez mais comum, a depressão, podendo notar-se pela criação da série "13 reasons why" e pela divulgação de diversos outros materiais sobre o assunto, e achei que o livro trata do assunto de uma forma aprofundada, mostrando que nem sempre as coisas são o que parecem, principalmente pelo fato de que, ninguém percebeu que Meg estava entrando em depressão, e mais do que isso, é mostrado que em alguns casos, como a da personagem em questão, a facilidade de encontrar informações que podem agravar a doença, podendo levar ao suicídio, contudo, a informação só foi facilmente acessível para Meg, pois para os amigos que passaram a investigar os motivos de tal ato, foi extremamente complicado, pois haviam criptografias que necessitavam ser quebradas para que os detalhes fossem revelados, e foi aí que Cody descobriu um mundo que não se esperava, um chat onde as pessoas conversavam uma com as outras e um dos usuários, incentivou Meg a cometer suicídio e explicou detalhadamente como realizá-lo.
História De Suzy Gonzales
Suzy Gonzales tinha 19 anos e é descrita pela autora como uma jovem inteligente, criativa, carismática e inconformista, porém, Gayle não conseguiu conhecer Suzy pessoalmente pois a garota havia falecido anos antes da autora começar a procurar histórias para se inspirar, porém, esse fato a intrigou ainda mais, levando com que a garota desconhecida da história que está se tornando cada vez mais comum, virar uma inspiração para o livro.
Suzy sofria de depressão. Segundo a autora, quando a jovem começou a ter pensamentos suicidas, foi procurar o centro de saúde da sociedade em que estudava em busca de ajuda, mas acabou depositando sua confiança em um grupo de “apoio” a suicidas, no qual não só aplaudiram sua iniciativa de se matar, como lhe deram conselhos sobre como fazê-lo, assim como acontece no livro.
Opinião da autora sobre o assunto
Gayle ao escrever o livro começou a se questionar se, caso Meg soubesse como a sua melhor amiga e sua família iriam se sentir com a tragédia da perda, se ela teria mesmo realizado tal ato. E para complementar o seu pensamento, os dados colocados e explicar a história de inspiração, ela também explica um pouco sobre as doenças psicológicas, consequências e tratamentos.

O ano de 2018 começou! Estávamos fora por uma série de questões pessoais que vão desde vestibular, falta de conteúdo, trabalhos e afi...

Horizon Zero Dawn: máquinas pré-históricas



O ano de 2018 começou! Estávamos fora por uma série de questões pessoais que vão desde vestibular, falta de conteúdo, trabalhos e afins, portanto pedimos perdão desde já, além disso nossa equipe está menor, muitos membros pararam de post faz um tempinho já por diversos fatores. Vida que segue, Iniciantes! Para não ficarmos falando de coisas negativas logo nesse dia 10 de Janeiro de 2018, vamos falar desse petardo que foi Horizon Zero Dawn.

O título exclusivo da Sony (PS4) me chamou a atenção desde seu anúncio; desenvolvido pela Guerrilla Games, a mesma empresa que fez a famosa série KillZone, Horizon já tinha um grande peso nas costas. Uma empresa que até então era conhecida por fazer jogos de tiro em primeira pessoa agora deveria fazer um jogo de Ação e Aventura em terceira pessoa em um mundo aberto, é uma baita mudança! Será que a desenvolvedora conseguiu atingir seu objetivo? Venha conferir no post do dia!

Afinal, do que se trata Horizon Zero Dawn?

No game você controla Aloy, uma menina que desde seu nascimento é uma Exilada, cuidada por Rost. Aloy, com o passar dos anos, sofrendo por ser Exilada decide fazer uma prova que pode lhe oferecer um lugar na tribo, após árduo treinamento o grande dia chega e novos mistérios surgem. Aloy parte numa jornada em busca de conhecimento, saber suas origens e isso a levará para lugares jamais pensados.

Sim, falando desse jeito o enredo parece algo normal, e talvez até seja, mas a história fica cada vez mais envolvente e para não estragar as surpresas não usaremos spoilers.
Image result for Horizon zero dawn

O Mundo de Horizon:

O mundo no qual o jogo se passa é muito rico: existe fauna, flora, máquinas, tribos, cultos etc. O jogo te lança num cenário que remete ao pré-histórico, usando arcos, flechas, lanças e ao mesmo tempo existem máquinas com tecnologia futurista, o que nos leva a mais perguntas que serão respondidas ao longo da história. Esse universo próprio de Horizon se mostra muito rico, os animais fogem de nós e são caçados pelos humanos; não raramente encontramos com uma tribo atacando ou sendo atacada por uma máquina, podemos então ajudá-los ou matá-los. Além disso usamos um dispositivo chamado Foco, que permite enxergar o mundo de outra forma, podemos ver a rota que os inimigos (animais ou humanos) fazem, encontramos áudios secretos com o Foco, e podemos ter "vislumbres" do mundo antes dele chegar nesse cenário pré-histórico - e com o desenrolar do game tudo fica mais simples de entender.
Image result for Horizon zero dawn

Pontos bons:

  • Enredo e Narrativa: o enredo do game te prende de tal forma que você se torna amigo da Aloy em pouco tempo, vemos o crescer da personagem e desejamos ir a fundo nesse complexo e estranho mundo de Horizon. A presença da Aloy é um ponto forte da trama, mas há diversos personagens com diversas subtramas que nos são apresentadas e que tornam um pouco mais rico a história. Coloquei nesse tópico também a Narrativa pois o desenrolar da trama é outro ponto forte, passamos por tramas políticas, culturais, religiosas até fecharmos a história do game e isso é extremamente bem executado;

  • Jogabilidade:  o jogo tem uma jogabilidade muito boa e fluída, desde as escaladas em montanhas com Aloy até o combate e a furtividade (essa última tem lá suas falhas, mas deixarei passar porque acerta mais do que erra);
 
  •  Gráficos: os gráficos do game são algo dignos de admiração, o jogador tem vontade de pausar o jogo e admirar a paisagem - mas pode ser atacado por animais enquanto isso! Há vaga-lumes, o cabelo da Aloy (que às vezes se mexe sozinho, mas isso é detalhe), neve, fogo, chuva  e até mesmo há formigas que andam pelas árvores o que mostram bem a qualidade gráfica do jogo;
  •  Trilha Sonora: aqui deixarei o link para um vídeo que tem a trilha sonora do jogo, vocês merecem ouvir isso. A trilha tem um tom de aventura e meio tribalista, além de trazer um tom de mistério e quase homérico que passa por toda a trama. Ouça a trilha aqui: https://www.youtube.com/watch?v=lnH2lpOiwDU

     Pontos Fracos:

  • O maior ponto fraco do game está em seus bugs, que não são assim tão frequentes, mas irritam um pouco sim, como travar a movimentação numas pedras, ficar visível aos inimigos quando estiver escondido, mas é com a expressão facial que vejo o maior defeito. O game tem uma ótima história, jogabilidade e até uma boa dublagem, mas a expressão facial dos personagens é péssima! O jogador só consegue ver que a personagem chora pela dublagem dela, não pela expressão facial. 

    É isso pessoal, espero que tenham gostado do post de hoje! Um abraço forte do Tio e até mais!

Olá inciantes! Como dito há um tempo, por conta do fim de ano e dos vestibulares, demos uma pausa para nos focarmos nessa etapa decisiva par...

Bem- Vindos de volta!

Olá inciantes! Como dito há um tempo, por conta do fim de ano e dos vestibulares, demos uma pausa para nos focarmos nessa etapa decisiva para nossas vidas, contudo, já estamos nos organizando para um retorno com muitas novidades e mudanças. Então em nome de todos nós integrantes do "Iniciativa Iniciantes", esperamos que seu final de 2017 tenha sido bom e desejamos que seu 2018 seja melhor ainda, com muitas realizações e conquistas.
Para nos aproximarmos mais, gostaríamos que nos dessem sugestões ou conselhos sobre o que mais gostam de ler, de assistir ou de jogar, pois assim, conseguimos agradar a todos e de uma forma muito mais interativa.

Bom 2018 para todos!

Iniciativa Iniciantes
Tecnologia do Blogger.